Ligue Agora

(31) 3332-5850
cuidados-necessarios-calopsita

Ganhou uma calopsita mas não sabe como cuidar?

A Calopsita ou caturra (Nymphicus hollandicus) é uma ave natural da Austrália e pertence à ordem Psittaciformes e a família Cacatuidae. Descrita pela primeira vez em 1792, a Calopsita já foi considerado um papagaio de crista ou pequena cacatua. No entanto, depois de alguns estudos moleculares, o pássaro passou a ser atribuído a sua própria subfamília cacatua como único Nymphicinae. É, portanto, agora classificado como o menor membro da família Cacatuidae.

calopsita-passaro

Geralmente dóceis, as Calopsitas podem ser criadas como animal de estimação. Elas são muito ativas e emitem gritos, assobiam e muitas podem até imitar sons que ouvem com frequência. Se as pessoas da sua família falam seu nome com frequência, ou dizem muito alguma palavra, por ouvi-la constantemente a caturra acaba conseguindo emitir um som parecido com essa palavra. Geralmente apenas os machos conseguem falar ou cantar, mas há registros em que as fêmeas cantam, mas são exceções. Independente disso, a ave é uma ótima companhia e será diversão para toda a família. De acordo com as mutações da ave, as plumagens podem variar de cor. No entanto, a maioria, tem uma pinta laranja na área dos ouvidos (com exceção das “Cara Branca” e “Prata”). A crista no topo da cabeça também varia de cor. Esses pássaros têm, em média, de 30 cm de comprimento.

As Calopsitas são aves resistentes e suportam bem o clima, mas precisam ser abrigadas para não pegarem vento e frio extremo. Com todos os cuidados adequados ao pássaro, bem como uma alimentação balanceada, essas aves podem viver até 25 anos. Está preparado para isso? Por sua característica carinhosa, hoje em dia, nota-se um crescimento da ave como animal de estimação. No entanto, deve-se haver a preocupação contínua com o cuidado da mesma, principalmente quando vivem soltas, já que, infelizmente, ainda não há um número expressivo de profissionais para cuidados da espécie.

Cuidados necessários

É muito importante lembrar! Se você estiver disposto a adotar um animal de estimação, ainda mais se for um bichinho exótico, você deve lhe proporcionar sempre os cuidados necessários para a raça e as condições que se pareçam ao máximo com o seu hábitat natural. Assim como acontece com as aves agapornis, as Calopsitas não precisam de cuidados especiais, mas você deve certificar de que conseguirá atender todas as necessidades da ave.

O ideal é manter a Calopsita o mais livre possível. Por mais que as gaiolas sejam muito espaçosas, não são o mais conveniente. Por isso, é importante acostumar seu bichinho de estimação a ficar solto desde filhote, sempre tomando as medidas de precaução adequadas. Caso a sua ave tenha que conviver com outros animais domésticos em sua casa, redobre os cuidados: não devemos esquecer que os gatos e os cães são predadores, portanto o melhor é acostumar os animais à convivência. 

Algumas dicas valiosas

– Tenha extremo cuidado com os espelhos ou as janelas, porque podem machucar a ave;

– É muito importante limpar a gaiola da Calopsita e abastecê-la com água e comida;

– Certifique-se que o ambiente esteja a uma boa temperatura, ou seja, nem muito fria e nem muito quente.

– Nunca deixe a Calopsita exposta diretamente ao sol.

A importância da alimentação

calopsita-em-bh

Uma das questões mais importantes para o bem estar das Calopsitas é a alimentação. A saúde da Calopsita depende, entre muitos outros fatores, mas principalmente de uma dieta saudável.  Grande parte das doenças que podem acometer a ave é decorrente de alimentação deficiente, pobre em nutrientes essenciais como cálcio e vitaminas, o que leva à baixa absorção e aproveitamento dessas substâncias, queda imunológica do organismo, refletindo no bem-estar da ave e, consequentemente, no tempo de vida.

Aves mantidas em cativeiro devem receber uma alimentação adequada, próxima a que teriam à sua disposição em seu habitat natural.  Uma dieta à base apenas de sementes é pobre em nível nutricional, por isso precisa ser complementada com frutas, verduras, suplementos vitamínicos, farinhada de ovo, entre outros.  Embora as sementes sejam ricas em proteínas não podem ser a única fonte de alimento.

Além do espaço que a ave tem disponível para se exercitar, deve-se levar em consideração o clima. Frutas (como maça) e legumes (como cenoura) podem entrar na dieta das aves, no entanto devem ser oferecidas com bastante moderação, porque o excesso pode causar diarreia ou obesidade no seu passarinho. As verduras verde-escuras são extremamente indicadas e podem ser oferecidas constantemente. Todavia, existem algumas restrições. Atenção para elas: abacate, alface, tomate e caroços (de frutas) em geral não podem ser oferecidos de modo algum. Já para as aves que não tenham espaço para fazer exercícios físicos deve-se evitar incluir na dieta alimentos com alto teor em gordura como a semente de girassol, por exemplo. Para este animal poder ingerir semente de girassol ou semente de linhaça, ele necessitaria voar muitos quilômetros para gastar a energia contida nesses alimentos. Como acontecem com outras aves exóticas, os lacticínios (grupo de alimentos que inclui o leite) não são recomendados.

A mistura básica de sementes para Calopsitas é composta de, aproximadamente, girassol (5%), aveia sem casca (15%), alpiste (30%) e painço (50%). No entanto, outras sementes podem fazer parte dessa composição como: cártamo, trigo mourisco, níger. É essencial ter atenção redobrada ao adquirir sementes. Seja à granel ou embalagem fechada, observe o brilho, a maciez, a coloração, a limpeza, se há cheiro de mofo, ou algum aspecto duvidoso. Adquira sempre sementes em loja com muita circulação de mercadoria, já que sementes estocadas por longos períodos perdem suas propriedades e ficam sujeitas a fungos, causadoras de intoxicação na ave.  Se você tem somente uma Calopsita ou poucos pássaros, é indicado comprar a mistura em embalagens fechadas e, ainda assim, verifique sempre a qualidade da mistura antes de fornecer à ave.  Se você perceber carunchos no meio das sementes ou que seu aspecto não está bom, não alimente seu pássaro com essa mistura em hipótese alguma.

Importante! As sementes não podem ser lavadas, porque vai aumentar a umidade interna delas. Esse procedimento, além de destruir as características físicas e químicas naturais das sementes, a umidade não será reduzida, nem mesmo com banhos de sol, ou aquecimento em forno, levando os grãos a mofar.

Alguns veterinários são extremamente contra ao ato de alimentar os pássaros com sementes. O principal motivo está no fato do teor nutricional não suprir totalmente as necessidades das aves. Além disso, é muito fácil adquirir sementes velhas e com fungos, o que traz danos decorrentes de intoxicação. A orientação de muitos veterinários é substituir as sementes por rações industrializadas. Esse é um ponto que merece reflexão, já que as Calopsitas são aves granívoras (é de sua natureza alimentar-se de sementes, o ato em si de descascá-la com o bico).  Pela experiência decorrente do contato que com suas aves, a maioria dos criadores prefere manter as sementes na dieta das aves.

Os bastões de sementes são considerados apetitosos e chamativos pelas Calopsitas por sua composição, mas devem ser dados de forma esporádica.

Rações

As rações extrusadas e peletizadas que são específicas para aves surgiram há pouco tempo. Cada vez mais, novas marcas e variedades chegam ao mercado, com o objetivo de fornecer uma alimentação mais completa e equilibrada às aves que são criadas em cativeiro.  A composição das rações varia conforme a característica e a espécie da ave. A ração também precisa ser alterada de acordo com a fase da vida da ave. Se você acostumou sua ave sempre com sementes, frutas e legumes, é importante introduzir a ração aos poucos na dieta. Respeite a fase de adaptação do organismo da ave. Nunca substitua as sementes por completo e de forma repentina.

Existem muitos criadores que substituíram completamente as sementes pelas rações, existem também alguns que são favoráveis às sementes fornecendo a ração apenas como complemento, justamente por entenderem que a Calopsita é uma ave granívora, e no seu ambiente natural uma parte de sua dieta é composta de grãos, portanto, fornecer apenas ração estaria indo contra a natureza da ave.

As Calopsitas, principalmente na fase adulta, são relutantes em experimentar novos alimentos. Disponibilizar esses novos alimentos juntamente com as sementes, farinha e ração, é uma forma de chamar a atenção do pássaro.  Essas aves também aprendem a comer por imitação, isto é, se no mesmo ambiente houver aves que estejam habituadas a comer esses alimentos, ficará mais fácil para ela se interessar pelos mesmos.

Quer saber mais sobre os cuidados necessários para a sua Calopsita? Entre em contato e agende uma consulta para o seu pássaro. Nossos telefones: (31) 3332-5850 e (31) 9 9907-0845.

Esperamos por você! :)